Inteligência: IQ de 128

Falar de inteligência pode parecer algo pretensioso, eu sei, eu sei, essa gente esnobe que se acha intelectual e em cima disso você restriega na jeta, como para enviar a essas pessoas direto e sem escalas para o matagal.
De fato, quando penso em inteligência, cultura e intelectualismo, eu me lembro muito de uma conversa, uma primeira conversa em que eu expunha um assunto, “eu sou muito inteligente”, obviamente a resposta da outra pessoa, que também é muito inteligente, foi “me dá isto a pessoas que pretende ser inteligente”, não disse nada, eu só ficava pensando nesse assunto e poderosas dessas palavras, já que a inteligência ou a cultura não é algo que se presumir, é algo que se mostra, mas não posso negar que me entristeceu o processo de ver-me de forma pretensiosa mostrando algo que eu não disponha. Essa conversa, se transformou em uma dessas conversas que não acho esquecer, porque tentar não ser esnobe, é que quase sempre me vejo snob ou melhor, às vezes um pouco arrogante, mas quando a gente me conhece um pouco mais, descobre que ele não estava mentindo, que eu sou inteligente, eu tenho a cultura necessária para sustentar uma boa conversa e eu tenho uma capacidade de análise que é interessante para uma conversa.
Mas eu já estou presumindo-se novamente, e com razão, você provavelmente está pensando em fechar esta janela ou também pensar que dou caviar, mas a minha história com a inteligência é uma história bastante longa, uma relação passivo-agressiva que sempre sofri. Digo, a muito tempo eu pensei que ser inteligente era uma maldição e achacaba todos os meus males e sofrimentos psicológicos a esta condição, mas nem sempre foi considerada uma pessoa brilhante, é mais, nem sequer era considerada normal, para muitas pessoas por muito tempo eu era, mmmmmm, como dizer, gentilmente, uma pessoa chata, acartonada, sem ideias, tímida, introvertida e o oposto inteligente.
De fato, até há alguns anos, huy, como eu me lembro de André, o tipo mais esnobe do mundo, mas snob era curto e o efetivamente era dessas pessoas pretensiosa de caviar, com a minha mesma idade, e já estava indo para o seu segundo doutorado em alguma coisa estranha e mafufa que eu te juro, tinha zero utilidade prática na vida, eu digo, não para que lhe servia seu doutorado neuro-não secar jaladas da linguística, mas André seguia seu segundo doutorado aos 27 ou eram 26, mmmmm, não me lembro. Igual e se você tem que ser inteligente para ir para o segundo doutorado, mas eu bem acho que ele tinha excesso de tempo.
Se bem que André se esforçava muito, por conviver com uma mente primitiva como a minha, porque o cuate eu queria ligar, era literalmente insuportável passar com mais de 15 minutos, era pretensioso, arrogante, ficava só falando de literatura morta do século IV, e em cima disso, não conforme com dizer-me que devia perder 5 quilos para que eu fosse sua namorada perfeita idiota, em cima do que me dizia como fazer meus artigos, de que deveria falar, como devia estruturá-los, como deveria se vestir, em cima disso, e como cereja do bolo, o muito esnobe, me disse que eu era formado da Universidade do Tigre Toño, que eu não sabia o que falava, e que meu QI devia andar nos 60, gogeta, imagine isso, imagine a minha suportando isso, pois o que fiz, o lógico, o que qualquer pessoa faria em sã consciência para não ser rude, vigor o mais que pude por mais duas horas, até que definitivamente já não suporte mais um minuto daquele arrogante tipejo, e eu lhe disse do nada “esse caminhão leva-me a minha casa”, em tom de pergunta, eu respondi “sim, em teoria, esse caminhão pode levar para sua casa, mas…” e enquanto seguia echándome o seu choro com um beijo na bochecha, eu sou educado, e eu disse já me vou, enquanto eu estava correndo.
Uma coisa é dizer que você é inteligente e outra coisa é ser como André, mas o despertou velhos traumas de infância, em que todo mundo achava que eu era tarada com um QI de 60 pontos, é, mais uma vez, quando estava em frente a um grande stress por meu exame de universidade, eu fiz uma prova dessas e sabe o quanto tire, tire 28 pontos, claro que não me esforcei e só foi respondida e quer, mas vá que esses 28 pontos me torturaram por muito tempo, porque se tinha verificado, EU ERA ESTÚPIDO, que realmente me vale pepinos o que os outros digam ou não de mim ou minha inteligência, mas quando eles querem te dar carrilla, qualquer coisa é boa.
Inteligência: IQ de 128