Nada como um susto mañanero

Não há nada de tão interessante nesta vida, como os sustos, já sabe, essa sensação de pânico que dá, como se você fosse a vida, quando um susto passa. Como quando põe a mão no calção procurando o celular e não está, porque o fazes entrar em a outra mão, por que você está falando por telefone, o que me foi passado e se sente muito feio, e em seguida, muito vergonhoso, mas essas pequenas coisas da vida, faz você se sentir pleno, digo, vivo, eu quis dizer vivo.
Esse tipo de sustos bobos e desnecessários se fazem sentir vivo e desfrutar de ninharias da vida.
Por isso, creio que não há nada melhor para a manhã, que um susto mañanero.
Bom, eu sei, há coisas que são boas e deliciosas quando acontecem pela manhã, como um bom pequeno-almoço, um rapidín mañanero, uma boa xícara de café fumegante, enfim, há muitas coisas matinais, que são agradáveis e próprias da manhã.
Mas nada se compara com a emoção de um susto no início do dia, nem sequer uma casa de banho Zest deixa-te tão atento, tão desperto e tão cheio de adrenalina para iniciar a manhã com muita energia, que com um susto mañanero.
E eu posso dar testemunho disso, e todos os dias levar várias horas para reagir, em acordar e mudar do modo zumbi com uma pessoa irracional com a qual você pode conversar, e não me desperta um café, o café da manhã ou no banho matinal, nada funciona ou isso acreditava, até que descobri o prazer e os benefícios de um susto mañanero.
Estes sustos não têm nada a ver com fantasmas ou também coisas espantosas, estão relacionados com as coisas que não temos ou perdemos.
Isso foi o que me aconteceu no dia de hoje, que eu acordei de manhã cedo para fazer tudo o que eu tenho que fazer pela manhã, óbvio no modo zumbi, às vezes, quando tenho que usar o cérebro, para escrever, por exemplo, me custa muito trabalho, porque ainda continua preso no limbo de estar dormindo e acordado.
Mas o dia de hoje descobri uma maneira surpreendentemente rápida para conectar ao 100 com o mundo e foi através de um susto mañanero que me fez ser vítima de uma onda de adrenalina que me segue percorrendo o corpo.
Nunca pensei que perder algo, me fizesse sentir bem, mas quando se fala das chaves e que as perdi, coisa que, aliás, só me passou duas vezes em uma vida inteira, foi uma espécie de pânico que me fez sentir viva, enquanto movia de um lado para o outro tudo o que estava no meu passo, como se um furacão estivesse procurando suas chaves.
Tenho certeza que nessa busca implacável perdi outras coisas, que depois eu vou sofrer procurando.
Nada como um susto mañanero