Resumo Da Garota Desconhecida

A Garota Desconhecida é um filme de drama dirigido por Jean-Pierre e Luc Dardenne, que é protagonizado por Adèle soldado alemão com sua (Les combattants, The Forbidden Room, Casa de tolerância). O elenco são Jérémie Renier (Saint Laurent), Olivier Gourmet (Maio de 1940), Thomas Doret (da série Les Revenants), Fabrizio Rongione (Dois dias, uma noite) e Christelle Cornil (Johnny Walker). Estreou na sexta-feira, 5 de maio nas salas mexicanas
Trailer do filme

Sinopse do filme
Uma noite, depois de terminar a sua jornada de trabalho e de ter fechado o seu consultório médico, Jenny David (Adèle soldado alemão com sua), um jovem médico de família, escuta a campainha, mas decide não abrir a porta. No dia seguinte, descobre por policiais, que encontraram, não longe dali, uma jovem morta, de origem africana, e sem papéis. As câmeras de segurança confirmam que se trata da pessoa que bateu em sua porta.
Atormentada por um profundo sentimento de culpa, Jenny decide conduzir sua própria investigação para descobrir toda a informação possível sobre a misteriosa paciente, assumindo, assim, um envolvimento pessoal no caso.
Resumo Da Garota Desconhecida

Não, tu não sua opinião, tu me cai mal

Quando alguém lhe cai mal, já valeu mães tudo e não importa o quão valiosa que seja essa pessoa, o quanto ele poderia trazer para a sua vida, o que você pode aprender com ela, nada disso importa e quando alguém lhe cai mal, simplesmente é como se essa pessoa estivesse apestada com a peste bubônica, e não apenas você não gosta da idéia de que esta perto de ti, senão que se doente e lhe dá repulsa a simples ideia de pensar nessa pessoa.
É mais, algumas pessoas têm espasmos de vomito pelo simples fato de pensar na pessoa que lhes cai mal, e não é mamonada, é real, o receio físico que pode causar uma inimizade pessoal.

E isso de me cai mal, não só acontece quando somos crianças, nããão, em qualquer idade da vida podemos encontrar um inimigo, que nos provoque tantas emoções do tipo negativas e nos fazem reagir de uma má maneira.

Como começam essas inimizades?, como alguém pode cair tão mal, ao ponto que lhe provoca essas reações viscerais?, mmmm, a verdade é que é difícil rastrear esses início, o único fato é que existem pessoas que te caem mal.
Isso sim, poderia dizer que há razões para odiar alguém em nível de me cai mal, não te suporte, vê-se e perca-se em uma floresta, e são várias, mas todas convergem em uma coisa, e é que, quando consideramos que algo se tornou pessoal e nos escandalizaram ou agraviaron de forma pessoal, isso gera inimizades instantâneos que duram toda a vida, ao mero estilo do conflito de i capuleti e i montecchi, e para sempre, que se vêem ou se encontrem, se odiarão por toda a vida e sempre será o sujeito que lhe cai mal, ao qual deseja coisas tão infames como tosse e chorrillo ao mesmo tempo.

Quando alguém lhe cai mal, não se importa com a sua intenção, o que quiser contigo, se é algo de valor ou produtivo, quando alguém lhe cai mal fecha sua mente para qualquer possibilidade, e tudo o que venha essa pessoa é lixo que você precisa ignorar, menosprezar e mandar o foda.
Não, tu não sua opinião, tu me cai mal

Quando você dá um presente chafa

Como reagir diante de um presente chafa?, fingindo gosto, alegria e um grande sorriso, de forma passivo-agressiva, agradecendo e quejándote no Twitter, ou com a pior de suas faces, que de todas as opções que você escolher, A, B ou C.
Dezembro é, por excelência, a época dos presentes chafas, desde pás palhaço, horríveis copos com 3 três beijos, chocolates Picard, cartões com música, meias, lenços, enfim, a lista de presentes continua, e tudo o que você pode fazer é sorrir como candidata a Miss Universo quando dão o seu discurso preparado e dizer “desejo paz mundial”
Mas você é ingrato pensar e reagir dessa forma?
Acho que devemos estar agradecidos, finalmente um presente é um presente, não importa que seja chafa ou não, e dizem por aí que a intenção é o que conta.
Mas o lamentável é que, agora, as emoções não existem, assim, os presentes não têm intenção e são coisas que se dão, por mero compromisso e assim você acaba com um horrível presente chafa que não significou nada mais do que um compromisso, algo que a outra pessoa se viu obrigada a fazer.
Que mundo este!!!, tão horrível, em que as emoções não existem e se fazem coisas por o compromisso de fazê-lo.
E não é que você seja dador de esmolas e com porrete, acho eu, do que receber algo que não lhe queriam dar, que não tinha uma intenção e compromisso se livra do “compromisso” de ser grato, já que, neste caso, não se pode agarrar ao velho ditado “a intenção é o que conta”, porque, se assim fosse, essa intenção seria:
Há que dar-lhe o que quer que seja para sair do passo
E não sei você, mas um presente chafa faz-me sentir roubado, por aquilo que eu não importou e sou apenas um compromisso, quando recebo essas recordações me sinto insultada e preferia não me deram nada.
Quando você dá um presente chafa

Tente decírtelo, mas não me crestes, sou legal

Só precisa me conhecer para verificar e descobrir que o meu aviso era 100% legítima e uma vez que você conhece alguém como eu, simplesmente muda sua forma de pensar e ver a vida de infinitas formas, ok, ok, ok, pode ser que exagere um pouco, mas quando alguém me permite conhecê-lo ensinou-lhe que há diferentes formas de ver o mundo, para abrir os olhos e ver o mundo de outra perspectiva, para pensar que tudo é possível, para sentir com o coração e não com os sentidos, ok, ok, ok, eu soa a choro idiota de internet, mas só me leva alguns minutos para provar que é possível.
Foram?, você me permitir mostrar-lhe que há diferentes formas de ver o mundo?, você me permitir te ensinar como vejo o mundo eu?, você me permitir fazer parte de sua vida?, como você se atreve?
Se o fizer, deixe-me dizer que é genial, que eu sou tão bom, que o mundo pode ser grande e não é que eu seja descrente ou presumida, e se quiser vender um curso de coaching, não, eu faço isso gratuitamente, porque sou tão bom, realmente não faço isso porque acho que é a única forma de viver.
Porque esta foi a forma que eu tenho vivido a vida e não conheço outra.
Antes me chamavam de estranha por pensar diferente, antes era um estigma que me perseguia pensar de forma estranha e agir em consequência, hoje ser diferente tem sido a característica mais distintiva de mim, o que eu chamaria de “minha vida”. Não é falta de modéstia, não é que seja presumida, é que simplesmente eu sou tão bom, por muitas coisas que me fazem edição limitada.
Uma estranha combinação de idéias, personalidade e extravagância me transformar em alguém muito fora do comum, alguém que vale a pena conhecer. Ok, ser arrogante o, tira-lhe pontos a isso de ser ótimo, mas realmente não me considero arrogante ou presumida, mas se você me parece interessante dizer a todas as pessoas que acabo de conhecer, que eu sou legal, óbvio, ninguém acredita em mim imediatamente, me puxam a louca, mas leva pouco tempo descobrir que ele estava dizendo a verdade, que acabam de conhecer alguém simplesmente único, por outro lado, também não ando dizendo outras coisas, como sou muito inteligente e blá, blá, blá, blá, só digo que eu sou legal, quer dizer o resto, sim, é exagerado.
E ninguém me crê, porventura, me vejo tão normal como para que duvidem de mim? ou acaso será que a genialidade é algo que já se extinguiu?, ou será que presumimos que todos nos mentem.
Tente decírtelo, mas não me crestes, sou legal

O que se põe a boca?

Caramba, é impressionante o que um termina metendo a boca e não é sátira de publicidade ou dupla linguagem, é uma maravilhosa realidade que se levará a análise daria muito o que falar.
O que se põe a boca?
Já não é pergunta, é uma afirmação que enfiamos a boca! E, repito, não é vulgaridade, mas uma intrigante questão/afirmação.
O que se põe a boca?

Acordo de confidencialidade – não digas nada

…ou te mato
Melhor, em vez de alertar os nossos amigos, com algo que não faremos, mais fácil, quer ser meu amigo e saber mais sobre as últimas fofocas, pois fírmele o acordo de confidencialidade, pois eu digo e faço muitas deve ter alguma carta sensíveis, que eu não gostaria vazou, na verdade eu acho pura pendejada, tantas, que me preocupa, me fujam enquanto converso com um bom amigo.
E já sabe, a informação é poder, e cada vez que eu vou contar a um amigo meus pensamentos mais profundos, minhas aventuras mais loucas ou essas coisas que ninguém lhe contei, eu sempre me pergunto Quando é que me chantajeara e por quanto?, mmmm, talvez deva começar amigos mais confiáveis, e acho que devo parar de contar minhas coisas para que ninguém me chantajee e o mais interessante, o que é aquilo que me provocaria uma chantagem?, Quais são os meus trapitos mais escuros?
Quer saber?, pois, preciso que me firme um acordo de confidencialidade em que não dirás nada do que vou revelar-se.

Quantas vezes você não disse isso, NÃO DIGA NADA, CHITÓN e neve aos seus amigos (ou a pessoa que você está contado algo) que a informação que você está a ponto de compartilhar, é vital, e no caso de divulgação, haverá um homicídio, o dessa pessoa, porque há coisas que se devem compartilhar com alguém, mas sempre em sigilo, já sabe, dessas conversas secretas que aconteceram As e autodestruyen, mas o problema é que, se bem que não há nenhum traço de computador, o que foi dito, a outra pessoa se lembra perfeito daquilo que contou com a confidencialidade.
E nos acontece a todos, porque todos nós temos trapitos sujos, e todas as pessoas têm, coisas, situações, segredos e informações confidenciais, que nunca deveria ser pública, mas deve ser compartilhada com um bom amigo.
Além disso, também estão as coisas que surgem na convivência.
Faça de conta, você vai a las Vegas em las Vegas tem o pacto de que, ninguém diz nada, porque o que acontece em Vegas, fica em Vegas, mas isso não se aplica para outras aventuras estúpidas que você tem com seus amigos ou seu parceiro, e às vezes mais confiança há, entre mais proximidade se fazem coisas mais pessoais e privados nunca devem infiltrar-se.
Por exemplo, estas com o seu melhor amigo e você gosta de pedorrearte depois de comer pizza, e seu amigo descobre a má, viviéndolo, não seria legal que o amigo irá filtrar essa informação.
E é que, no processo de viver, acontecem muitas coisas privadas entre pessoas na companhia, que não gostaria de se revelassem.
Acordo de confidencialidade – não digas nada

Assim caminho eu: cagado

O Problema?
A pouco lhes não caga, ok, vou dizer aqui, porque vêem com maus olhos. Ok, corrigir, a pouco não lhes incomoda muito quando alguém critica sua forma peculiar de fazer as coisas, acho que este é um mundo livre, até onde eu me lembro assim é, e cada um é livre de escolher a sua roupa, a sua forma de falar, de pensar e até caminhar. E eu estou cagado*, ai perdão, queria dizer de forma engraçado.
*Cagado: expressão oriunda da cidade do México para expressar algo divertido, engraçado e muito criativo.
Realmente não entendo porque as reclamações ou as risadas, eu gosto de andar graciosamente, bem, isso eu digo quando eu o faço, porque realmente o meu estilo tipo trivilina ao caminhar, correr ou andar, não é algo que me pareça digno de orgulho, mas porque já que, estrada que legal eu tenho que admitir.
Assim caminho eu: cagado

Fiesta Dockers Sempre

Em uma grande e espetacular festa, que teve lugar no Auditório Blackberry, a prestigiada marca de roupa Dockers fez história com o lançamento de Always On, que, além de resumir mais de 30 anos de estilo, lança uma grande inovação falando em roupas, muito especificamente, calças.
Esta reuniu grandes personalidades da indústria do entretenimento, influencers e especialistas em moda, para uma festa que foi regada com boa música e os Amigos Invisíveis além de Tom
Fiesta Dockers Sempre

Lenovo celebra o seu décimo aniversário no México

Geeks, fãs de gadgets e tecnologia, blogueiros e outras coisas estranhas, todos nós sabemos bem o valor da tecnologia na vida diária.
Se bem que, na atualidade, para o grosso da população, tudo se reduz a tocar uma tela touch screen para que a sua vida funcione, o processo para chegar a este ponto, este belo ponto da vida, foi um processo muito longo e, apesar de ainda se prevêem mais melhorias e um controle maior da tecnologia em nossa vida, hoje por hoje, podemos desfrutar de muitas coisas desde gadgets, até computadores e smartphones que fazem a nossa vida mais simples e fácil.
E uma das marcas tecnológicas encarregadas deste processo, e esta digitalização da vida, é claro, é a Lenovo, uma marca que talvez para algumas pessoas não é muito conhecida, mas os que sabem ou procuram marcas que ofereçam desempenho e um bom preço, pois, óbvio, essas pessoas sabem que é Lenovo. Esta marca de origem chinesa que nasceu em 1984, apenas um ano depois do que eu, devo dizer que esta empresa é uma pequeñuela que não só é o aniversário é muito perto do meu, mas também um ano depois que eu, ahhh, talvez essa seja a razão pela qual tenho uma ligação especial com esta marca, apesar de bom, a minha relação com a Lenovo é a mais antiga e em seus primeiros anos, quando estava indo para o México, meu irmão ganhou um patrocínio esportivo e um computador portal da marca Lenovo, talvez daí venha o carinho que eu tenho para esta marca.
Mas, independentemente de laços amorosos com esta marca, há algo que não se pode negar, e é a tecnologia que faz destacar seus produtos, motivo pelo qual foram coroado este encerramento de 2015 como a marca que mais vendeu automóveis a nível mundial.
Assim, para platicarnos mais sobre isso, tive a oportunidade de entrevistar Jaime Martinez, Gerente de Marketing de Consumo na Lenovo México.
Lenovo celebra o seu décimo aniversário no México

Eu choro por tudo

Há algo que eu tenho que confessar abertamente, algo que não digo muito e só sabem minhas pessoas mais próximas, e, infelizmente, minha confissão é que eu sou muito sentimental, sem se importar com minha aparência dura, minha cara justo, imutável, de caráter sério e seco, há algo que tudo isso esconde e eu choro por tudo.
Porra, é uma daquelas coisas que eu odeio admitir, mas eu odeio mais quando acontecem e eu sou daquelas pessoas muito sensíveis que lagrimea como madalena por tudo, tradução para o português, choro por tudo e quando algo toca fibras sensíveis dentro de mim, acabo chorando, claro, imediatamente tratou de se recompor, não me faça ouvir a voz embargada, que meu queixo não se enrugue e as lágrimas contêm, mas a verdade é que eu sou uma pessoa muito sensível, muito sentimental e até mesmo quando eu a raiva, quando estou muito, mas muito irritada, mesmo nesses momentos acabo chorando.
Eu choro por tudo