Quando alguém te dá, tenho que não te leve para o pessoal

Há muitas coisas que mudaram com a internet, goste ou não.
Agora vivemos de uma maneira muito diferente, talvez seja mais simples da vida, por aquilo de que tudo o que resolvemos com uma app, mas, ironicamente, a vida também se tornou mais complexa e muitas situações sociais que vivenciamos agora, são de índole confuso, complexo e muito complicado, se bem que agora tudo está a um click de distância, também o é a loucura.
Naqueles anos do mundo analógico, ou seja off-line, agora parecem muito distantes, quando as experiências sociais mais frustrantes da vida, era algo como:
Ser rejeitado em público
Não ser convidado para a festa do momento
A Ser ignorado em uma conversa
Ser ridicularizado ao vivo e em directo
Agora, esses problemas continuam lá, mas a equação matemática de angústia social e estresse emocional, acrescenta o combo de frustrações que se vivem graças à vida digital com suas redes sociais, mensagens instantâneas, mensagens de texto, chamadas de vídeo, enfim, em poucas palavras a vida nos complicou-se muito mais com a internet, que aparentemente veio para resolver todos os nossos problemas, é, finalmente, mais bem, os exponencio a oitava potência e tem uma nova complexidade, uma nunca antes vista.
De verdade, sério, nunca antes na vida imaginávamos ser o perseguidor pessoal de alguém, noooooo, por deus, isso era de creepys, embora bom, antes da internet, ser stalker significava ter binóculos e seguir em formato incognito a uma pessoa para saber o que fazia, onde estava, com quem estava e onde passava o seu tempo, mas agora ser stalker é só dar um click no Instagram, entrar com Facebook ou seguir uma pessoa pelo Twitter, apenas um click nos separa da loucura de ficar obcecado com alguém de estar à margem.
Isso me faz bem pinches louco, como os comportamentos que antes considerávamos bizarros e doentes, agora se tornam normais, comuns e muito fáceis de fazer, graças às redes sociais.
Por isso o meu ponto de vista, a internet nos tenho fodido da vida.
E nessas novas frustrações modernas, é adicionado o horrível sentimento, o qual, por certo, LÍQUIDA É HORRÍVEL, perceber que alguém te excluo da sua rede social, seja no Facebook ou Twitter, é horrível quando você está procurando por uma pessoa e você descobre (talvez um minuto depois, ou pode ser dois anos) que já te excluo ou deu-te tenho.
Você entra no plano dramático romance, frustado, se sente, estas muito triste, e você começa com o discurso de:
Recebeu uma maldição@ c@ infeliz, malnacid@, malparid@ e púdrete no inferno porque eu te odeio.

Talvez, já nem falar com essa pessoa, talvez nunca lhe caiu bem, talvez nem a vi e o que cada um viste suas atualizações se molestabas, mas o fato de que se eliminem, isso dói no mais profundo do ser.
A verdade, eu já deixei de pessoas a pista para as pessoas que me dão o unfriend ou tenho, realmente me causa angústia, sem importar que me valieran pitos antes, saber que me dirigiram-me afeta, por isso nem vejo quem me exclui ou não, mas quando me dou conta que alguma conhecida do gym, que não vejo há mil séculos me exclui do Facebook, entrou em fúria, eu sei, não deveria, mas eu faço isso e então entrou minhas outras contas de Twitter e Instagram, óbvio, para deixar de segui-lo, pois quem se acha que é, para que eu a siga, e ela de volta não.
Quando alguém te dá, tenho que não te leve para o pessoal