A matemática não importam

E desde que termine a minha vida acadêmica, essa é a certeza de vida que adquiri imediatamente ao me formar, não servem para nada.
Bom, só servem para passar nos exames da primária e, em seguida, a secu, posteriormente, a prepara e, em certos casos, a universidade, mas fora das salas de aula de ensino, a matemática, a álgebra, a aritmética e qualquer coisa com números não serve para fodida a coisa. Bom, ok, em corridas de números se usam, óbvio, mas em campo aberto e extenso das ciências humanas, sociais, artes e até meios digitais, se referindo a comunicação e estratégias de imagem, a matemática serve para puras batatas, bem, se existe matemática, óbvio, mas, em seguida, você abrir o Excel para tirar contas, estatísticas, médias e números para ver o nível de engagement, ok, em português, esses números, que calcula em Excel são usados para ver o quão popular é alguém ou uma marca.
E já, párale de contar, e é o único que se utiliza de matemática nas ciências humanas, e certamente não todas e aquelas que têm algo a ver com números, matemática, estatística ou probabilidade, pois para isso você tem programas sofisticados que só você tem que preencher, até o Excel serve, mas daí a ter que saber algo assim como somar, mmmm, não, não é exigida em tempos modernos.
Puts, como eu me lembro de meus professores, que faziam muito clique enfatizar a grande importância de aprender operações tão básicas como somar, subtrair, dividir, multiplicar e outros. Porque segundo eles eu não andaria com uma calculadora pessoal, em todo momento, e zombavam de mim cuestionándome e planteándome o panorama da vida cotidiana para saber um preço, cotar um trabalho ou saber o quanto tinha que pagar.
Pois que crêem professores de todos os graus de estudo, saí sem saber somar, subtrair ou dividir ou como se esqueça de que, no processo, já sabem, o novo conhecimento desloca coisas que não usa e minha habilidade para sequer somar ou subtrair no mercado quando passo a comprar jicama para minha eterna dieta que nunca começa, me é extremamente difícil, faço cara de triste, aquela cara que com certeza eu faço no banheiro, subo a sobrancelha e me ponho a pensar mentalmente, dois mais dois são quatro, se tirou um são três, então multiplico por 5, 15, até que me dou, eu rio e saco da calculadora do celular, já sabe, por aquilo de que sempre o comerciante do mercado, aproveite os que não sabem somar e não tiramos a calculadora.
Fora isso não tive um só problema na vida real por este tema, tenho um poderoso celular com calculadora integrada, se, o único que eu tenho de inteligente é o meu smartphone, mas graças a ele, cada vez que preciso de um dado matemático já não tenho que usar o meu frouxo, enferrujado e pouco ágil cérebro, oh não, senhor, sou exata, precisa e rápida quando se trata de saber quanto é 156 678 – 54, eu sei, somar isso não é complicado, mas eu sou fraca mentalmente falando.
A matemática não importam