Por que ninguém ouve minhas histórias?

Ok, talvez tantos anos de dar choros, dar muitas voltas ao assunto, tantas horas de divague e se conectar muitas idéias em um mesmo fio de pensamento resultaram em algo, em que ninguém quer ouvir minhas histórias e que me peçam para ser concreta, ser prática e falar de algo de forma sucinta ou melhor dito breve.
Há duas maneiras de contar uma história, a breve que em poucas palavras narra um fato e, claro, é a maneira de contar uma história em que há nestes casos, há personagens, há clímax, há uma explicação e o desenvolvimento da história, há drama, há ação, há aventura, há moral, não há conclusões do narrador. Essa é a maneira que eu gosto de contar as coisas, porque tudo está encadeado, tudo tem relevância na história, além de ser feitos desse evento que integral, minhas histórias é parte integrante da reflexão, são coisas que trazem intrigas, emoção, ou de suspense, uma história, jajajajaja, e não é porque eu inventei para dar ao leitor, a pessoa que ouve ou o espectador entretenimento imaginário, não, tem tudo a ver, ou foi algo que aconteceu.
Não entendo porque, então, agora já não querem me ouvir, já não querem ler essa anedotas que estão encadeados. E não só é o meu senhor, pai que me exige ser concreta, ah não, senhor, eu também tenho descoberto alguns de meus leitores, que parece ser também buscam essa simplicidade. Seguro de anos de ler minhas divagações agora podem parecer cansados e pesados, mas se imagina que a série do meu ser simples. Imagina se eu falasse de algo em menos de 100 palavras, você pode imaginar?
Seria algo como:
Já as pessoas não querem ouvir choros.
Esse seria o meu post ou a maioria dos meus post.
Sabe, uma vez eu li em um livro uma frase que se me gravou na cabeça, “assim que o escritor que gera mais palavras do que você precisa, está fazendo uma tarefa para o leitor que lê” e a partir desse momento, na minha cabeça ficou o trabalho de um escritor falar mais e melhor, mas claro, eu sou da escola de escritores que não gosta puxou de palavras e as leituras presuntuosas que de 60% do conteúdo, o leitor não entende nada porque o autor está usando uma linguagem “intelectual” em desuso.
Isso me parece pretensioso, bem, amo o espanhol e sua extensão, além de que eu posso usar muitas palavras para dizer uma idéia, mas outra coisa é o uso de palavras domingueras. Por isso, se você já me faz um abuso, jajajajaja, eu fiz isso de novo, eu começo a divagar.
Não vai me negar que as melhores conversas, falam de tudo e nada, com muitas divagações e muitas ideias.
Puts, como ele odiava falar com alguém que não sabe o que dizer e nessa conversa há muitos espaços vazios e silêncios desconfortáveis, porque a conversa é assim:
Pessoa random: Como você fez?
Tu: Bom
Pessoa random: Mmmmm
Tu: Como foi o seu livro
Pessoa random: Bom
Essas conversas que duram menos de 5 minutos, e em todo esse tempo você está pensando “puta merda, que pessoa tão clique chata é essa” e saltado a outra pessoa pensa o mesmo, pela incapacidade que tem o seu interlocutor para articular frases mais elaboradas.
Que, por certo, no meu trabalho como repórter fazendo entrevistas, essas pessoas são as piores, como entrevistados, porque eles são muito, muito chato, claro, a transcrição é muito simples, mas ninguém lê essas entrevistas que só dizem “ok” ou “bom”.
Contar uma história de forma concreta em que há apenas fatos, é chato, e isso acontece somente quando a pessoa que ouve, não se quer ouvir.
E assim eu passo ontem que estava contando eu a meu pai uma história, mas tinha que contá-la toda, porque isto é apenas vou ir a uma premier no domingo, o Passeio Acoxpa com Rene, meu irmão, deixava de fora de todo o contexto do que tinha acontecido, no qual há o drama, a paixão, a tragédia, jajajajaja, bem exagerada, mas é uma história interessante, gostaria de ouvi-la?, ou será que também prefere a versão curta?
Se você quer a curto, quer a leste, se quiser ouvir tudo só preste atenção.
Por que ninguém ouve minhas histórias?

Category: Uncategorized

Tenho muitas dúvidas, o que faço?

Ah, as dúvidas, e é que não se pode com elas, ou sem elas, mmmm, isto soa a um dilema moral, como o que geramos as mulheres que não se pode viver com muito menos sem nós, eu, eu acho que existem coisas na vida que são assim e não podemos fazer muito a respeito.
Isso acontece com as dúvidas, essas perguntas internas que nos fazemos de forma pessoal, como se uma espécie de voz em off na nossa cabeça, nos agobiara com aquelas perguntas que sempre evitamos responder, as quais lhes rehuimos toda a vida, mas a nossa voz interna que nos faz perguntar a essas dúvidas.
Acima de tudo, por noite, e para o nosso cérebro, não há melhor momento do dia, que mesmo quando tentamos dormir, é nesse momento em que o nosso locutor interno surge com essas perguntas que nos causam dor, que nos submergir e que nos intranquilizan, e são as famosas e mentadas dúvidas, aquelas que nos carcomen a alma.
Agora, pois, maldito seja que as dúvidas não nos assaltam em outro momento, já sabe, como quando você está sentando no caminhão vendo pela janela, esse sim é um momento ideal para tentar encontrar respostas, ou pelo menos a lógica desses questionamentos internos.
Tenho muitas dúvidas, o que faço?

Category: Uncategorized

Recomendações de todo o tipo

Se você estiver procurando por um site na web que lhe recomende como entreter, o que ver, onde comer, o que vestir ou que as coisas estão de moda, pois, óbvio, estas no lugar certo, porque, para aconselhá-la você tem a especialista em tecnologia, moda, gadgets, cinema, entretenimento, cultura, teatro e museus mais pedida da vida na capital, na Cidade do México, ou sease, mua, eu, a especialista em trivialidades do entretenimento e merolica profissional Yesica J. Flores, alias, Yes, pa da banda.
Não é que eu gosto, muito, de falar de mim na terceira pessoa, mas há momentos em que é necessário, como este, digo, quando se anda auto promovendo, para que o leiam, é parte de um princípio básico do marketing implementar todos os recursos que tem à mão para apantallar os outros e se tudo isso falhar, a estratégia final é guardar confetes nos bolsos para em momentos adequados tirá-lo, assedagem) ao ar, criar confusão e correr.
Mas, na realidade, não devo dizer-lhe minhas credenciais que me fazem confiável para a hora de as recomendações e dizer-te que ver, o que comer ou para onde ir, não fazem falta os meus choros e acho que o melhor é tirar a carta de “sou um inútil” isso me faz entrar no perfil de pessoas que dispõem de muito tempo para conhecer a cidade e visitar todos os lugares que ela existe para te dar a ti, e de forma regurgitada uma seleta, seleção, os melhores lugares para se divertir nesta cidade.
Recomendações de todo o tipo

Category: Uncategorized

5 brincadeiras para o Dia dos Inocentes

Estamos a algumas horas do dia mais divertido do ano, hummm, bem, isso para que seja o mais divertido é polêmico, mas, pelo menos, 28 de dezembro de cada ano podemos dar rédea solta a todas as brincadeiras que nós pensamos ao longo do ano, e não importa que tão pesadas ou subidas de tom sejam, o Dia dos Inocentes, o dia em que esperamos o ano todo para fazer uma verdadeira piada.
Mas por favor, o que mais você quiser, faça com que este dia tenha e não faça piadas estúpidas do seguinte tipo, porque são trilladas, previsíveis e de tanto que se fazem nesse dia, ninguém mais cai:
Você Me prestas dinheiro?
Estou grávida
Vou Me casar
De verdade, essas não são piadas, e até de mau gosto são quando você é chavillo e a uma certa idade, em vez de causar pânico dão alegria às pessoas que lhes dá essa falsa notícia.
Assim que façamos que este dia tenha e que, em vez de dar notícias falsas ou pedir empréstimos que não pensam pagar nunca, melhor fazermos verdadeiras piadas o Dia dos Inocentes, para engañara muitos inocentes borboletas.

5 brincadeiras para o Dia dos Inocentes
Muda a hora
Antes de fazer esta brincadeira, certifique-se de que sua vítima não tenha nada de importante para fazer.
Para fazer esta piada tem que mudar todos os relógios que você possa consultar essa pessoa, celulares, computadores, etc., a mudança de hora passaria.
Altera os contatos de seu celular
5 brincadeiras para o Dia dos Inocentes

Category: Uncategorized

Me fazendo a barba com o podcast

Já lhes dei, assim que má notícia para todos os que usam essa técnica para que lhes fale na boa onda, JÁ LHES ISCA, porque nunca mais eu vou mudar a minha atitude com alguém, porque me falem bonito do podcast, NELLLLLLLLLLLLLLLL, assim que procurem outra técnica ou tática aqueles que recorrem a embelezar o meu podcast, porque a líquida nem é tão bom, jajajajajajajajaja.
Ok, foi uma pequena brincadeira, a verdade é que eu acho que o podcast de todas as coisas que eu faço é tudo o que adora, bom, então, o melhor do melhor. O podcast é divertido, é criativo, tem temas variados, é divertido, fresco e às vezes, quando estou com excesso de confiança, ele poderia se comparar com o de Olallo Loiro, bem, na minha mente o podcast é perfeito, motivo pelo qual nunca aceito más queixas dele.
É mais uma vez exclua a Sebastian Claveríe de todas as minhas redes sociais, o travar do que é, eu coloquei no lixo de e-mails não desejados seu e-mail, simplesmente porque ele disse que era ruim, eu estava cheio de clichês e era uma posição espiritual para concluir o pedido COM MADURO YESICA.
Sim, a verdade é que se alguém vai falar mal de mim podcast é porque:
1.Tem uma crítica bastante sólida.
2.Está preparado/a para que nunca mais na vida vai voltar a dirigir a palavra.
Mas olho, críticas construtivas, se aceito, aquelas críticas que me fazem melhorar e oferecer algo de qualidade, algo que faça com que o podcast algum dia chegue a ser comparado com o de Ollalo Loiro, mas outra coisa é que o ouçam 3 segundos e me digam “QUE PENDEJADA É ESSA QUE você FEZ”
Eu sei, eu sou um pouco sensível com o meu podcast, de alguma forma tolerar e entender melhor as críticas para os meus artigos, notas, entrevistas e vídeos, mas com o podcast que ninguém se meta, porque esse assunto pode me fazer raiva de nível 0 para o nível 5 mil em um segundo.
Me fazendo a barba com o podcast

Category: Uncategorized

Não, desculpe, não me lembro, eu tenho má memória

Alguma vez aconteceu que te perguntam se você se lembra de algo, e tu a verdade tem a memória em branco e responsável por uma má memória e por mais que insistam, por mais que falem em tom sibilante, esses tons agudos não fazem com que as memórias sejam derramadas.
Pois bem, se você disse que sim, prazer em ti; eis-me, você é dos meus, e provavelmente o seu também não se lembra, mas absolutamente nada, mas nada do que você fez ontem, agora imagine pensar que foi o que você fez ou disse, na semana passada, ou mais para trás.
Se eu sei, uma loucura.
Digo, não me custa muito trabalho me lembrar o que eu fiz há pouco, e não é que seja uma memória seletiva, ou algo em minha mente bloquear as memórias traumáticas da vida, digo, que traumático pode ser escrever todo o dia, descansar e acordar tarde, mmmm, acho que nada, isso não é nada traumática então, por que esquecer as coisas?, entenderia se reprimiera uma lembrança dolorosa, isso é bom, mas havemos pessoas com tão má memória, que não lembramos nem o que dissemos há 5 minutos atrás, e isso não tem nada a ver com não ter palavra e honra para apoiar suas palavras, simplesmente esquecer o que você disse, a quem o dizes e como, assim como, o porquê.
Maldita memória a curto prazo, às vezes eu me sinto como Dory e acho que esqueceu tudo o que eu digo e faço, talvez isso seja bom, talvez esquecer as besteiras que eu faço, seja uma boa maneira para viver em paz e tranquila sem que nada do que eu fiz me submeta.
Agora, o problema é quando as pessoas insistem em saber o que foi o que disseste, ou lembrá-lo de uma conversa da qual você não tem idéia.

Pelo menos para mim insistem e me insistem dando datas, detalhes, curiosidades e dados que possam ajudar a minha mente a lembrar, mas certamente eu fico em branco, sem ter nem sequer uma pitada ou noção de que a outra pessoa está falando, eu fico com cara de quem era eu?, você não me estas a confundir?
Isso é a minha falta de memória e a minha falta de memória, como a de um cavaleiro, que me assusta não saber do que falam as pessoas. Tenho espasmos, tenho lapsus brutus como os de Elliot de Mr. Robô que tem um alter-ego que age por ele, deixando-o livre de lembranças ou, talvez, alguém usa o aparelho de Homens de Preto para apagar a minha memória a cada 5 minutos.
Não, desculpe, não me lembro, eu tenho má memória

Category: Uncategorized

Silicon Valley e seu stream ao vivo

Não quis falar muito nesta temporada de Silicon Valley até tê-la visto completa e ter feito a sua respectiva análise, mas estando a nada do capítulo final de temporada, pois acho que é o momento de tirar conclusões ou melhor, para comentar brevemente desta segunda temporada de Silicon Valley, que em um balanço geral, me deixou esperando mais, sobretudo depois das altas expectativas e o humor tratada na terceira temporada, no entanto, não me posso queixar e as ocorrências que tiveram, as piadas esporádicos, mas hilariantes, me fazem pensar que esta segunda temporada não foi tão ruim, no geral dou um 7 para a segunda temporada.
Silicon Valley e seu stream ao vivo

Category: Uncategorized

Resumo Da Garota Desconhecida

A Garota Desconhecida é um filme de drama dirigido por Jean-Pierre e Luc Dardenne, que é protagonizado por Adèle soldado alemão com sua (Les combattants, The Forbidden Room, Casa de tolerância). O elenco são Jérémie Renier (Saint Laurent), Olivier Gourmet (Maio de 1940), Thomas Doret (da série Les Revenants), Fabrizio Rongione (Dois dias, uma noite) e Christelle Cornil (Johnny Walker). Estreou na sexta-feira, 5 de maio nas salas mexicanas
Trailer do filme

Sinopse do filme
Uma noite, depois de terminar a sua jornada de trabalho e de ter fechado o seu consultório médico, Jenny David (Adèle soldado alemão com sua), um jovem médico de família, escuta a campainha, mas decide não abrir a porta. No dia seguinte, descobre por policiais, que encontraram, não longe dali, uma jovem morta, de origem africana, e sem papéis. As câmeras de segurança confirmam que se trata da pessoa que bateu em sua porta.
Atormentada por um profundo sentimento de culpa, Jenny decide conduzir sua própria investigação para descobrir toda a informação possível sobre a misteriosa paciente, assumindo, assim, um envolvimento pessoal no caso.
Resumo Da Garota Desconhecida

Category: Uncategorized

Não, tu não sua opinião, tu me cai mal

Quando alguém lhe cai mal, já valeu mães tudo e não importa o quão valiosa que seja essa pessoa, o quanto ele poderia trazer para a sua vida, o que você pode aprender com ela, nada disso importa e quando alguém lhe cai mal, simplesmente é como se essa pessoa estivesse apestada com a peste bubônica, e não apenas você não gosta da idéia de que esta perto de ti, senão que se doente e lhe dá repulsa a simples ideia de pensar nessa pessoa.
É mais, algumas pessoas têm espasmos de vomito pelo simples fato de pensar na pessoa que lhes cai mal, e não é mamonada, é real, o receio físico que pode causar uma inimizade pessoal.

E isso de me cai mal, não só acontece quando somos crianças, nããão, em qualquer idade da vida podemos encontrar um inimigo, que nos provoque tantas emoções do tipo negativas e nos fazem reagir de uma má maneira.

Como começam essas inimizades?, como alguém pode cair tão mal, ao ponto que lhe provoca essas reações viscerais?, mmmm, a verdade é que é difícil rastrear esses início, o único fato é que existem pessoas que te caem mal.
Isso sim, poderia dizer que há razões para odiar alguém em nível de me cai mal, não te suporte, vê-se e perca-se em uma floresta, e são várias, mas todas convergem em uma coisa, e é que, quando consideramos que algo se tornou pessoal e nos escandalizaram ou agraviaron de forma pessoal, isso gera inimizades instantâneos que duram toda a vida, ao mero estilo do conflito de i capuleti e i montecchi, e para sempre, que se vêem ou se encontrem, se odiarão por toda a vida e sempre será o sujeito que lhe cai mal, ao qual deseja coisas tão infames como tosse e chorrillo ao mesmo tempo.

Quando alguém lhe cai mal, não se importa com a sua intenção, o que quiser contigo, se é algo de valor ou produtivo, quando alguém lhe cai mal fecha sua mente para qualquer possibilidade, e tudo o que venha essa pessoa é lixo que você precisa ignorar, menosprezar e mandar o foda.
Não, tu não sua opinião, tu me cai mal

Category: Uncategorized

Quando você dá um presente chafa

Como reagir diante de um presente chafa?, fingindo gosto, alegria e um grande sorriso, de forma passivo-agressiva, agradecendo e quejándote no Twitter, ou com a pior de suas faces, que de todas as opções que você escolher, A, B ou C.
Dezembro é, por excelência, a época dos presentes chafas, desde pás palhaço, horríveis copos com 3 três beijos, chocolates Picard, cartões com música, meias, lenços, enfim, a lista de presentes continua, e tudo o que você pode fazer é sorrir como candidata a Miss Universo quando dão o seu discurso preparado e dizer “desejo paz mundial”
Mas você é ingrato pensar e reagir dessa forma?
Acho que devemos estar agradecidos, finalmente um presente é um presente, não importa que seja chafa ou não, e dizem por aí que a intenção é o que conta.
Mas o lamentável é que, agora, as emoções não existem, assim, os presentes não têm intenção e são coisas que se dão, por mero compromisso e assim você acaba com um horrível presente chafa que não significou nada mais do que um compromisso, algo que a outra pessoa se viu obrigada a fazer.
Que mundo este!!!, tão horrível, em que as emoções não existem e se fazem coisas por o compromisso de fazê-lo.
E não é que você seja dador de esmolas e com porrete, acho eu, do que receber algo que não lhe queriam dar, que não tinha uma intenção e compromisso se livra do “compromisso” de ser grato, já que, neste caso, não se pode agarrar ao velho ditado “a intenção é o que conta”, porque, se assim fosse, essa intenção seria:
Há que dar-lhe o que quer que seja para sair do passo
E não sei você, mas um presente chafa faz-me sentir roubado, por aquilo que eu não importou e sou apenas um compromisso, quando recebo essas recordações me sinto insultada e preferia não me deram nada.
Quando você dá um presente chafa

Category: Uncategorized