Quando um cliente te pede para explicar porque tu és a melhor opção

Isso de freelancear tem suas vantagens, de fato, são tantos que ainda não vejo a necessidade de me tornar assalariada ao estilo Gordo, de fato, hoje pela manhã, eu vivi de uma forma muito dura, isso de casa de banho com a gente para entrar no metro, na verdade, não me vejo fazendo isso todos os dias. Assim, por apenas evitarme esse incômodo, seguirei em modo autônomo.
Além disso, é economia, não só do México, mas em todo o mundo, se foi desenhando para ter mais e mais pessoas no modo freelancer e consultor, o que não é ruim, mas tem suas desvantagens e o principal, é o irregular, com o que lhe cai o dinheiro.

Se, e é essa irregularidade, que às vezes entra pouco, às vezes nada às vezes muito, faz com que as pessoas pensem duas vezes antes de trabalhar independente.
Quando você tem um nível de custos fixos, ser freelancer pode ser bastante difícil, por isso que você acaba perseguindo o papa, correndo em volta do dinheiro, pois, e aos seus clientes, em primeiro lugar, para que se selecionam e, em seguida, a coisa mais difícil do mundo, que se paguem, assim que correteas o dinheiro e ruegas a Deus que lhe paguem para que abones o próximo pagamento no Coopel, bem, não a Coopel pois, mas se você tem que pagar os cartões de crédito, água, luz, gás, a internet e todas essas coisas que um adulto funcional deve pagar.
Por isso, a questão de ser independente e ter uma entrada irregular e NÃO SEGURA de dinheiro, é algo que te faz toy duras.
Na verdade, independente de ser esta em chinês e em todos esses anos de freelancear me tem passado muito, muito, de tudo, desde toparme com clientes muito nefastos, um deles, ou melhor, ela, a dona de um portal que Envia Presentes, se preocupou um dia porque eu disse “calma”, e disse-o de forma assertiva, digo, a senhora estava histérica e se preocupou tanto, que fico a dever dois trabalhos como o de 12 mil pesos, e conhecendo a sua atitude, estava no plano de “venha e cóbramelos” e a verdade, eu preferia perder esse dinheiro a rogar-lhe alguém que me pagasse por um trabalho que tinha feito e bem e acima de tudo, não acreditava que eu pago, nem ainda me fora lhe cravou a Chalma.
Essa parte, a de cobrar, é muito difícil quando se fala de freelancear, e é que a informalidade com a qual, algumas pessoas físicas e morais, ou seja, de empresas e de pessoas que o contratam para fazer um serviço são tratadas, mesmo tendo contratos, é muito complicada, e em épocas de crise, depois que trabalhou te dizem: “não há lã” e sem mais cruel te mandam para a versh.
E você só pode se sentir usado como uma puta barata.
Isso é simplesmente terrível, por isso ultimamente eu escolho muito bem os meus clientes e muito dessa seleção é o feeling que sinto por eles, acima de tudo, o que tão culeros se podem colocar em uma situação difícil, ah porque isso sim, ninguém é culero, até que tem que ser.
Freelancear pode ser um pesadelo, mas o que mais me incomoda, até mais do que o fato de que não me paguem, são esses clientes que querem uma grande tese e que lhes explicar com um teorema, ao estilo de Pitagoras, além de projeções econômicas sobre ele porque devem capaz de contratá-lo a si e não a qualquer filho de um vizinho.
A sério!, é sério, sério, será que ele é?, não é uma fodida brincadeira pendeja?

Quando, pois, alguém, quando um cliente me pede esse tipo de explicações e pede-me que critique a sua anterior consultor, quando quer que lhe dê terra e de muitas explicações de porque eu, e não qualquer idiota, EU acho um ABSURDO.
Que não me removam meu tempo, o meu caso é muito valioso, e melhor, que se vão com o filho do vizinho, literal, sem experiência, conhecimentos ou cérebro, para que faça a chamba. E não é que seja uma infeliz que desqualifica o trabalho dos outros, mas, quando me pedem que, desse tipo de explicações, sobre alguém menos qualificado, me parece um escárnio, e uma absoluta perda de tempo.
Quando um cliente te pede para explicar porque tu és a melhor opção
Uma coisa é quando você está em uma competição por um posto de trabalho, ou quando você está em campo à procura de um novo cliente ou uma nova conta, mas em vez de desqualificar os outros, resaltas seus benefícios ou o que você pode oferecer a essa empresa, mas uma coisa é isso, e outra muito diferente é andar no plano chamaquitos idiotas dizendo “escógeme a mim e não a ele”
Quando um cliente te pede para explicar porque tu és a melhor opção

Como é fácil ficar com raiva quando alguém lhe que

A isso, devo dizer, que não sejam pedaços, primeiro paguem e, em seguida, enójense e não lhe façam o contrário, para não pagar, ou se irritam pagando, para isso, comprometeram-se, porque agora a estratégia que aplicam muitos, é, eu raiva contigo para não pagar, e tudo isso que estava me segurando e tolerando essa pessoa morosa e devedora, tudo o nefasto/eu sei que eu sou, localizado sai para a luz, quando há uma dívida de por meio.
Como é fácil ficar com raiva quando alguém lhe que
Mas, isso é sério?
Como é fácil ficar com raiva quando alguém lhe que

A beleza através do empoderamento – Mulheres de Valor

Não há nada mais bonito e admirável que uma mulher capacitado (a) que é determinada, segura, forte, fiel a si mesma, comprometida com seus sonhos e com o seu ambiente. L’Oréal Paris, admira as mulheres, inspira-se em todas as coisas bonitas que fazem, e acredita que as causas que as movem são motivo de comemoração.
Por isso, apresenta pela primeira vez no México seu programa “Mulheres de Valor”, uma iniciativa inspirada no icônico slogan, “Porque eu valho a pena”, que reconhece, saúda e apoia as conquistas das mulheres reais que estão fazendo uma grande diferença no mundo, não importa se é em benefício de milhares ou de uma pessoa de cada vez.
Nós convidamos você a dar um minuto para pensar nos inúmeros momentos em que uma Mulher de Valor tem dedicado o seu tempo e esforço a algo maior que ela, L’Oréal Paris quer dar a oportunidade para brilhar, compartilhar a sua história e transmitir a sua paixão e inspiração.
O programa “Mulheres de Valor”, busca criar uma plataforma inspiradora para as mulheres, ao mesmo tempo em que dá visibilidade e apoia o crescimento de iniciativas extraordinárias. Para isso L’Oréal Paris outorgará três prêmios para as histórias mais inspiradoras, e um prêmio adicional para a história que o público escolha através de seus votos.
A beleza através do empoderamento – Mulheres de Valor

Llega um Discovery Home

Doze apaixonados competidores se enfrentarão para se tornar o melhor padeiro amador britânico.
BAKE OFF: REINO UNIDO serão transmitidas a partir de quinta-feira, 12 de janeiro, às 10PM pelo Discovery Home
Llega um Discovery Home

Quem estranha o podcast do Yes?

Uma das coisas que mais gostei no processo de criar conteúdo para a web tem sido o meu podcast, o podcast do Yes, um projeto pequeno, eu diria hobbie, que me mantinha muito ocupado, muito divertida e com um grande senso de utilidade por aquilo que conforme eu as minhas idéias estavam mudando o mundo, e com certeza dirás, “Yes olá, o mesmo faz com seus post”
Bem, isso eu não vou questionar, o formato ou melhor o conteúdo do podcast é basicamente como uma de minhas postagens, mas em vez de ser escritas, era como uma leitura do meu blog, mas com uma diferença básica: a improvisação e o podcast dos fios de ideias estavam sujeitos aos meus pensamentos randoms e divergentes, por certo, não, não divergente como o filme, digo divergente divergente, a palavra.
divergir. (Do lat. diverg?re). intr. Dito de duas ou mais linhas ou superfícies: Ir-se afastando por diante umas das outras. || 2. Discordar, discordar.
Isso eu gostava muito ou, pelo menos, terminava muito feliz, porque dessa improvisação sem roteiro, mais do que apenas uma folha de temas, o podcast podia falar e alimentar-se de muitas maneiras esse espaço auditivo que não me limitava de nenhuma forma.
Acho que as únicas limitações que experimente e isso, em princípio, era a fluidez com que falava e sentir que a minha voz era horrível, eu digo, se você vai fazer um programa de rádio, neste caso, o mais semelhante, seria o seu primo, o podcast, pois, menos você deve ter uma voz aveludada, sexy e sedutora que possa transmitir com apenas ouvir uma série de emoções e formas verbais. De tal forma que quando a outra pessoa não se pode ver, você tem que fazer com que a sua voz tenha muita projeção para que as palavras ouvidas expressem idéias ou sentimentos, isso é bem difícil, para isso, precisa de educação da voz, boa dicção, preparação na entonação e fluência, todas essas coisas são adquiridas pelo estudo ou muitos anos de experiência e eu, zero que ver nessas duas coisas.
No entanto, naquele momento, sabia que a evolução lógica era um podcast e um canal de YouTube, obviamente, não tinha a idéia do trabalho e o tempo que significavam esses dois projetos, também existia o medo de ter um podcast só ouviu falar por mim, no qual apenas era eu quem o confere dia-a-dia, por aquilo que não é o melhor podcast do mundo, nem sequer tem grande produção, entradas de música ou efeitos especiais. O podcast era só eu, mais essencial, Yesica revelando sua alma, não é mal viajem, disse alma, porque estava nu, se bem que tinha pequenas edições em que cortava os espaços em branco, quando eu estava com tosse ou me trababa, o podcast não tinha maior produção, no entanto acho que era algo que gostava muito.
Quem estranha o podcast do Yes?

Inteligência: IQ de 128

Falar de inteligência pode parecer algo pretensioso, eu sei, eu sei, essa gente esnobe que se acha intelectual e em cima disso você restriega na jeta, como para enviar a essas pessoas direto e sem escalas para o matagal.
De fato, quando penso em inteligência, cultura e intelectualismo, eu me lembro muito de uma conversa, uma primeira conversa em que eu expunha um assunto, “eu sou muito inteligente”, obviamente a resposta da outra pessoa, que também é muito inteligente, foi “me dá isto a pessoas que pretende ser inteligente”, não disse nada, eu só ficava pensando nesse assunto e poderosas dessas palavras, já que a inteligência ou a cultura não é algo que se presumir, é algo que se mostra, mas não posso negar que me entristeceu o processo de ver-me de forma pretensiosa mostrando algo que eu não disponha. Essa conversa, se transformou em uma dessas conversas que não acho esquecer, porque tentar não ser esnobe, é que quase sempre me vejo snob ou melhor, às vezes um pouco arrogante, mas quando a gente me conhece um pouco mais, descobre que ele não estava mentindo, que eu sou inteligente, eu tenho a cultura necessária para sustentar uma boa conversa e eu tenho uma capacidade de análise que é interessante para uma conversa.
Mas eu já estou presumindo-se novamente, e com razão, você provavelmente está pensando em fechar esta janela ou também pensar que dou caviar, mas a minha história com a inteligência é uma história bastante longa, uma relação passivo-agressiva que sempre sofri. Digo, a muito tempo eu pensei que ser inteligente era uma maldição e achacaba todos os meus males e sofrimentos psicológicos a esta condição, mas nem sempre foi considerada uma pessoa brilhante, é mais, nem sequer era considerada normal, para muitas pessoas por muito tempo eu era, mmmmmm, como dizer, gentilmente, uma pessoa chata, acartonada, sem ideias, tímida, introvertida e o oposto inteligente.
De fato, até há alguns anos, huy, como eu me lembro de André, o tipo mais esnobe do mundo, mas snob era curto e o efetivamente era dessas pessoas pretensiosa de caviar, com a minha mesma idade, e já estava indo para o seu segundo doutorado em alguma coisa estranha e mafufa que eu te juro, tinha zero utilidade prática na vida, eu digo, não para que lhe servia seu doutorado neuro-não secar jaladas da linguística, mas André seguia seu segundo doutorado aos 27 ou eram 26, mmmmm, não me lembro. Igual e se você tem que ser inteligente para ir para o segundo doutorado, mas eu bem acho que ele tinha excesso de tempo.
Se bem que André se esforçava muito, por conviver com uma mente primitiva como a minha, porque o cuate eu queria ligar, era literalmente insuportável passar com mais de 15 minutos, era pretensioso, arrogante, ficava só falando de literatura morta do século IV, e em cima disso, não conforme com dizer-me que devia perder 5 quilos para que eu fosse sua namorada perfeita idiota, em cima do que me dizia como fazer meus artigos, de que deveria falar, como devia estruturá-los, como deveria se vestir, em cima disso, e como cereja do bolo, o muito esnobe, me disse que eu era formado da Universidade do Tigre Toño, que eu não sabia o que falava, e que meu QI devia andar nos 60, gogeta, imagine isso, imagine a minha suportando isso, pois o que fiz, o lógico, o que qualquer pessoa faria em sã consciência para não ser rude, vigor o mais que pude por mais duas horas, até que definitivamente já não suporte mais um minuto daquele arrogante tipejo, e eu lhe disse do nada “esse caminhão leva-me a minha casa”, em tom de pergunta, eu respondi “sim, em teoria, esse caminhão pode levar para sua casa, mas…” e enquanto seguia echándome o seu choro com um beijo na bochecha, eu sou educado, e eu disse já me vou, enquanto eu estava correndo.
Uma coisa é dizer que você é inteligente e outra coisa é ser como André, mas o despertou velhos traumas de infância, em que todo mundo achava que eu era tarada com um QI de 60 pontos, é, mais uma vez, quando estava em frente a um grande stress por meu exame de universidade, eu fiz uma prova dessas e sabe o quanto tire, tire 28 pontos, claro que não me esforcei e só foi respondida e quer, mas vá que esses 28 pontos me torturaram por muito tempo, porque se tinha verificado, EU ERA ESTÚPIDO, que realmente me vale pepinos o que os outros digam ou não de mim ou minha inteligência, mas quando eles querem te dar carrilla, qualquer coisa é boa.
Inteligência: IQ de 128

O que é uma relação de casal?

Parece uma pergunta com uma resposta mais do que óbvia, evidente, sobretudo se pensarmos que, na atualidade, todos, incluindo adolescentes parecem estar envolvidos em um relacionamento de alto nível, compromisso e maturação, bem, isso parece até que começa iCarly que cada qual se vai à sua casa para ver o show. De fato não me rio, é sério isso acontece atualmente com chavitos de 12 pá para cima, todos estão comprometidos com o amor de sua vida, não me acreditam, olhem para o Facebook que jura que muitos adolescentes já estão casados. De verdade, eles entram no mural de seus primos, sobrinhos ou pessoas nessa faixa de idade para descobrir que o amor está no ar.
O que é uma relação de casal?

Poderia morrer por você: bolo de chocolate

Se eu tivesse que dizer essas palavras, líquida, seriam por um bolo de chocolate, denso, rico e chocolatoso, diria sem pensar, para jurar uma eterna devoção e amor eterno.
Meu maior amor eterno, uma fatia de bolo de chocolate

Ok, ok, ok, eu sei, soa a expressão de alguém muito guloso, sem vida pessoal e até mesmo alguém de medidas grandes. Sim, sei bem que xingar a vida, o amor e a lealdade a um bolo de chocolate soa muito denso, inclusive para mim.
Ok, ok, ok, eu aceito, soa como um estranho meme da internet ou de uma de minhas palhaçadas para tornar claro um ponto, um sarcástico em que é preferível amar um bolo, que nunca vai te trair, me provocar, a fartar, colocar de más ou ignorar, ok, ok, ok, eu sei, cada pessoa fala de acordo como foi na feira, mas ultimamente e quando penso no amor, nas relações, e não só as minhas, mas de todos, eu sempre acabo concluindo duas coisas:
Poderia morrer por você: bolo de chocolate

Blogueiros, que nomeia o Premio Dardos

O dia de ontem que recebo uma notificação no twitter chocante, e não digo sarcasticamente, líquida, juro. Bem, prossigo, o dia de ontem, estava eu mais linda, tranquila, relaxada, é mais, pode-se dizer que eu estava absurdísima me picando o umbigo, à espera que algo maravilhoso aconteça. Eu sei, eu sei, pode-malacostumbrar a uma vida emocionante, assim, que no momento em que não acontece nada de nada, pois até lhe jalas da fila para o cão, para que se desperte e se ponha a jogar contigo.
Ontem assim foi meu dia, chato, muito comum, muito comum até que tocou o meu aplicativo do twitter para me comover com muita alegria por algo surpreendente, algo que nunca me tinha passado na vida, e eu fui indicado ao Prêmio Dardos.

A neta não sei o que seja o prêmio, que dêem, porque eu o mereça, eu só sei que eu quero ganhar, jajajajajajajaja, já me vi recebendo meu prêmio e aventando a outra finalista para dar o meu discurso de aceitação, o que tenho praticado há mais de dez anos no regador. Se bem que esperava um prêmio por jornalismo ou por ser incrivelmente genial escrevendo, eu me acordo com um prêmio para os blogueiros, e repito, não sou sarcástica, não sei porque, mas normalmente a gente se imagina a minha voz em um tom rude ou arrogante ou sendo preconceituosa, líquida que não, juro.
De verdade me faz muito feliz de ser nomeado para algo, não importa o que estejam nominando a todos na web, enquanto me nominen significa que há algo atrás do meu projeto que me mereceu essa nomeação.
Antes eles tinham a minha curiosidade, agora tem a minha atenção Prêmio Dardos, vejamos o que são, digo, é muito provável que eu ganhe, gogeta, então você tem que saber quem são, o que fazem ou o que há por trás desses prêmios.

O Prêmio Dardos é um grande prêmio que é concedido aos geradores de conteúdos, não apenas blogueiros, mas pessoas que por sua perseverança, dedicação e tempo são dedicados a criar conteúdo de valor, que originalmente foi recompensado com a escrita criativa e original, porém, agora, os conteúdos audiovisuais também se integram este reconhecimento.
Ninguém sabe de forma certeira a origem do Prêmio Dardos, mas os que seguiram a sua história puderam encontrar menções no Brasil e em Portugal, um prémio atribuído ao trabalho, valores culturares, éticos e literários que uma pessoa transmite de forma escrita. E também, por certo, é uma forma de unidade e fraternidade entre os blogueiros, porque blogueiros unidos jamais serão vencidos.
Mas, ao receber uma indicação tem que fazer algo de forma ativa e participativa, há que seguir as seguintes regras.
1.Fazer um post sobre o Prêmio Dardos
2.Citar e linkar o blog que te nomino
3.Escolher outros 15 blogs para esta grande honra
E bom, agora já foi adicionado um quarto ponto e é responder a um breve questionário sobre a natureza de seu blog.
Devo confessar honestamente que, no princípio, me pareceu uma espécie de cadeia ou spam, mas ao conhecer a essência ativa, proativa e de unidade entre o clã dos blogueiros, eu só posso dizer que me homenagear o Prêmio Dardos, dando uma especial menção ao blog do @PsychoMother
psychonewbiemom.blogspot.mx por considerar meu blog
Agora falando dos meus indicados, mmmmm, pois não tenho muitos, posso dar dois?
http://www.jusai.com.mx
http://www.lostocinantes.com
http://www.sopitas.com/site/

Inicio


http://www.boticapop.com
Perguntas adicionais
1.- Como e quando você começou com seu blog?
Em 2008
2.- Por que você decidiu fazer o blogger?
Não decidi, simplesmente passo
Blogueiros, que nomeia o Premio Dardos

Já na maioria das revistas digitais colocam títulos com hashtag

Fuck you internet!
Para ver diga-me, para que fazer esse tipo de abominações, o único por visitas?, fuck you internet, o que uma pessoa ou uma revista há por ter tráfego, porra, onde deixou a dignidade. Onde ficou aquele velho provérbio chinês que dizia que não importava o nível de visitas de um site, mas manter-se fiel à sua identidade.
títulos com hashtag
Sabem-me muito estranho como, pouco a pouco, a internet se apodera do planeta, ouçam, eu não estou dizendo que este mal, mas me parece surpreendente como é que o internet reinventa a forma de fazer tudo e não só o faz com a televisão, também o faz com a mídia de impressão, e agora, disse-lhes internet quais são as regras do jogo.
Lembro-me de quando estava na escola, mais especificamente na aula de redação ou quando tomava comunicação, naqueles loucos e distantes anos me tivessem rejeitado se a um titular punha-lhe hasthag ou porque o símbolo gato, além de utilizar títulos extremamente estúpidos ou descritivos mais bem usar titulares em forma de pergunta tivesse sido assim como para catalogarte de estúpido e incrivelmente óbvio, mas na internet o jogo muda sempre e se começa a pensar em função do mecanismo de pesquisa e como um usuário faz uma busca na internet e se, para atrair visitantes e tráfego você tem que usar títulos incrivelmente descritivos, sobre isso curtos e usar a nomenclatura moderna do twitter, POIS FAZÊ-lo, a única regra em vigor, o que permanece é que nós vivemos em função das visitas.
Diga-me quantas visitas você tem e te direi quem és.
Agora também as revistas e meios digitais renderam-se sob as leis da física que é a internet, tudo se resume à sua popularidade, os likes, para que as pessoas te seguir, te ouça. Já não se trata de que os anunciantes coloquem as regras são os usuários.
Já na maioria das revistas digitais colocam títulos com hashtag